fbpx

Speak and Lead

Falar em Público:
Como fazer um discurso impactante

Um discurso tem, por norma, três fases: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Contudo, em public speaking, devem existir mais duas: abertura e impacto finalE em que é que consiste cada uma das fases?


ABERTURA – COMEÇAR COM O PÉ DIREITO

Porque é que é importante existir uma abertura? O ser humano demora cerca de 7 segundos a decidir se quer ou não prestar atenção após a primeira palavra ouvida. Se não agarramos a atenção da audiência desde o início é muito difícil voltar a ganhá-la, pelo que temos de começar o nosso discurso em grande. 

Recomendamos utilizar um destes tipos de abertura:

  • FAZER UMA PERGUNTA
    Se a pergunta for boa a audiência pode identificar-se. Se responder, cria empatia e interação connosco. No entanto, mesmo uma pergunta retórica irá captar a atenção da audiência, que irá procurar uma resposta interiormente e começar a pensar sobre o tema da nossa apresentação. A pergunta tem de ser curta, com o máximo de uma ou duas frases.
  • USAR UMA CITAÇÃO OU UMA FRASE-CHAVE
    Qual a diferença entre citação e frase chave? Ao usarmos uma citação, estamos a citar algo de outra pessoa. A frase-chave, por sua vez, é criada por nós (e só deverá ser usada se já formos vistos como especialistas na matéria). A vantagem de utilizarmos uma citação em vez de colocarmos uma pergunta à audiência, é darmos credibilidade por associação ao nosso discurso – se nos estamos a associar à pessoa que estamos a citar estamos a transmitir a imagem de que devemos ser levados a sério. A citação também deve ser curta.


INTRODUÇÃO – MOSTRAR POTENCIAL
Na introdução, para além de apresentarmos o tema do nosso discurso, é crucial transmitirmos à audiência razões pelas quais devemos ser levados a sério dizendo o que é que fizemos de relevante ao longo da nossa vida.

Apesar de ser uma melhor aposta fazer os agradecimentos na conclusão, existem alguns casos em que devem ser feitos na introdução. Quando o ambiente é mais formal ou quando, mesmo sendo mais informal, achamos que alguém que esteja a assistir irá levar a mal os agradecimentos só serem feitos no final do nosso discurso.


DESENVOLVIMENTO – ENTRAR EM DETALHES

É nesta fase do discurso que desenvolvemos o nosso tema, explicando todos os detalhes e abordando os subtemas interessantes. Hoje em dia, com a situação que atravessamos a nível mundial, as apresentações e discursos a elas associados realizam-se principalmente via online, o que exige um pouco mais de atenção a certos pormenores. Poderá encontrar dicas para uma videochamada de sucesso no nosso artigo Dicas para fazer uma Videochamada Brilhante.


CONCLUSÃO – FAZER UM 
REFRESH

A conclusão deve ser aproveitada para reforçarmos à nossa audiência o que é que, do todo o nosso discurso, deve ser lembrado. Isto pode ser feito de duas formas: usando uma introdução inversa, em que voltamos a dizer à audiência sobre o que é que falamos; ou dizendo à audiência do que é que se deve lembrar da nossa apresentação e o que deve fazer com a informação que lhe demos.

Além disso, como foi referido, os agradecimentos devem ser feitos nesta fase do discurso (apesar de haver casos em que se aplica agradecer na introdução). Ao começarmos a agradecer, a audiência percebe que estamos a acabar e começa a prestar mais atenção ao que estamos a dizer – o momento ideal para o impacto final. Ou seja, usamos os agradecimentos a nosso favor para recuperar a atenção da audiência se eventualmente a perdermos durante o discurso.


IMPACTO FINAL – ACABAR EM GRANDE

Já toda a gente assistiu a filmes que começam e acabam da mesma forma. Porque é que isto acontece? A audiência até pode não se lembrar de tudo o que aconteceu durante o filme mas irá recordar-se de que começou e acabou da mesma forma. 

Como podemos aplicar isto no nosso discurso? Se começamos com uma pergunta, acabamos fazendo outra pergunta ou dando resposta à pergunta inicial. Se começamos com uma citação, acabamos com outra citação da mesma pessoa ou de uma pessoa que estude a mesma área, por exemplo. Atenção: não é obrigatório usar esta técnica em todos os nossos discursos mas será um bónus se o fizermos

Vale relembrar que é sempre uma boa ideia termos uma abertura e um impacto final. Se começarmos o nosso discurso em grande temos mais atenção da audiência e se acabarmos em grande é mais fácil lembrarem-se do nosso final, acabando por reter melhor a mensagem transmitida.


Quer saber mais sobre como tornar a sua apresentação impactante e ter a atenção de quem o ouve?
Consulte o programa do nosso Curso de Falar em Público Profissionais

Curso de Falar em Público Profissionais

Pedir Proposta