fbpx

O momento-chave para lidar com o nervosismo

Lidar com o nervosismo

 

O maior problema no que toca a falar em público é o nervosismo que as pessoas sentem quando o fazem e o segundo é a forma errada como tentam resolver o primeiro.

A primeira coisa que temos de esclarecer é que estar nervoso quando temos 20, 40, 100 pessoas a olhar para nós é perfeitamente normal, é uma reação biológica que todos temos, independentemente de ser o nosso primeiro discurso ou de termos 40 anos de experiência em Public Speaking.

 

 

“There are two types of speakers: those that are nervous and those that are liars.”

Mark Twain

 

 

O que significa estar nervoso quando vamos falar em público?

Essencialmente, significa que nos preocupamos.


Todas aquelas ideias que nos são transmitidas, desde desvalorizar a situação, imaginar a audiência nua, entre muitos outros absurdos, não são mais do que formas de contornar a situação e não encarar o problema. Se temos uma oportunidade para falar em público devem preocupar-nos e muito, caso contrário, apenas significa que aquilo que temos para dizer não é assim tão relevante, e ninguém gosta de assistir a algo que não lhe é relevante, certo?

 

Então, mas se todos ficamos nervosos a falar em público, qual é a diferença entre um bom e um mau orador?

A grande diferença é que um mau orador deixa-se controlar por esse nervosismo, enquanto que um bom orador, tendo também a mesma reação física, consegue controlar esse mesmo nervosismo, não o demostrando à audiência, usando ainda a favor do seu discurso, canalizando-a como adrenalina para potenciar a sua apresentação.

 

Agora, como é que conseguimos controlar esse nervosismo?

A chave está nos 10
minutos
antes da nossa apresentação.

Infelizmente, a maioria das pessoas passa estes minutos preciosos a entrar em pânico, a rever exaustivamente a sua apresentação e a repetir para si aquela mensagem, sempre tão eficaz, de “Não me posso esquecer disto, não me posso esquecer disto, não me posso esquecer disto”. E não é que nos acabamos sempre por esquecer disso?

O principal erro é focarmo-nos no que temos de fazer em palco. Quanto mais pensamos no que vai acontecer, mais pressionados nos sentimos e pior vai correr a nossa apresentação.

Nos 10 minutos antes de irmos para palco a nossa mensagem já deve estar completamente preparada, já sabemos o que queremos atingir e sobre o que temos de falar para chegar a esse fim. Se não nos preparámos antes não será naqueles 10 minutos que nos vamos preparar.

Então, se os 10 minutos antes não servem para melhorar a qualidade da nossa mensagem, servem para quê? Essencialmente para nos colocarmos em condições físicas para transmitirmos a nossa mensagem da melhor maneira possível.

 

Mas como é que fazemos isso?

Vou dar-vos três estratégias, para experimentarem e usarem aquela com que se sentirem mais confortáveis.

1. Atenção!

Na grande maioria das situações há sempre alguém a falar antes de nós. A melhor coisa que podemos fazer nesses 10 minutos é dar atenção a quem está a falar e simplesmente apreciar o espetáculo. Atenção, é mesmo apreciar o espetáculo, não é para nos estarmos constantemente a comparar com o outro orador.

Quando estamos a pensar no que não nos podemos esquecer estamos só a criar mais pressão sobre nós próprios, ao mesmo tempo, enquanto estamos focados no que não nos podemos esquecer, o orador antes de nós pode dizer alguma coisa interessante que podíamos ligar à nossa apresentação, pode dizer algo engraçado que podemos usar para quebrar o gelo com a audiência ou até pode acontecer alguma coisa durante aquela apresentação que nos permita criar uma maior ligação com a audiência.

Essencialmente, quanto mais pensamos sobre o que não nos podemos esquecer, não só estamos a criar mais pressão sobre nós, como estamos a desperdiçar ferramentas particularmente úteis para a nossa apresentação.

 

2. Plano B

Se ao ouvir quem está a falar
antes de nós a única coisa que nos vem à cabeça é se vamos ser melhores ou
piores que essa pessoa, então temos de mudar o nosso foco de atenção. Sugiro
três estratégias:

 

  1. Pegar
    num papel e numa caneta e desenhar;
  2. Ouvir
    música e/ou ver o que há de novo no nosso telemóvel;
  3. Caso
    nada disto resolve, temos um plano B: experimentar técnicas de respiração. Fazer
    um esforço por respirar fundo e lentamente ao mesmo tempo que contamos quanto
    tempo demoramos a inspirar e a expirar;

3. Socializar!

Se estar no teu canto te coloca ainda mais nervoso, ou se fores o primeiro a apresentar e estiveres num ambiente que o permita, tenta começar uma conversa com quem esteja perto de ti.

Enquanto estás a conversar não estarás a pensar sobre o que terás de fazer em palco, ao mesmo tempo acontece uma coisa particularmente engraçada, já estás a criar aliados na audiência!
Quando começares a tua apresentação o teu contacto visual irá automaticamente para as
pessoas com quem falaste previamente, colocando-te ainda mais confortável.

O Public Speaking é algo muito engraçado, porém, não se aprende ouvindo, não se aprende lendo, aprende-se, essencialmente, falando. Portanto, pega nestas estratégias e não te esqueças de as experimentar já na tua próxima apresentação!

Se queres aprender na prática a controlar o nervosismo e melhorar a tua capacidade de comunicação aproveita o nosso curso mais completo, a Public Speaking Academy que conta com 16h de formação prática para potenciar a tua comunicação e garantir que o nervosismo deixa de ser um problema!